Ana Calca Figueira justificou esta decisão com o facto de “após uma forte tentativa de fazer ver que o cenário sonhado podia tornar-se real, apenas dependente do grau de empenho, fui amplamente derrotada por vontades e interesses alheios aos meus ideais de ação, estudo e empenhamento feroz e determinado em fazer diferente”.

“As ruturas com o passado não se fazem dentro de uma geração e passam-se anos em que a inércia, não se compadece rumo ao progresso, ao desenvolvimento e à prosperidade de uma sociedade que continua acomodada e a dar gritos de revolta para dentro de si própria, sem dar a cara” lamentou a empresária.

“Foi com todo o afinco que quis mudar o imutável, que quis fazer ver que é possível, mas que só com trabalho árduo de uma equipa se consegue alcançar o sucesso” acrescentou Ana Figueira.