“Não podemos aceitar esta atitude de total falta de consideração e respeito que mais uma vez é demonstrada para com os Bombeiros Portugueses, principais agentes de proteção civil do país, responsáveis pela grande maioria da resposta ao socorro e ao transporte de doentes em Portugal” lamentou o responsável.

João Ludovico, recordou que “esta é uma situação muito desagradável, pois os Bombeiros Portugueses além de continuarem a dar uma resposta exemplar à sua missão de proteção e socorro das populações têm estado na linha da frente, em conjunto com outras entidades, no combate ao COVID-19 e agora são esquecidos pelo estado, não podemos aceitar esta decisão”.

“É importante relembrar que em todas as intervenções que os bombeiros participam correm o risco de contágio. Por mais que queiram ignorar, esta é uma missão de risco e por isso é imperativo que seja considerada como tal” defende o representante das 26 corporações de bombeiros do distrito de Setúbal.

Neste sentido esta Federação irá solicitar, com caráter de urgência, explicações à tutela, com o objetivo de que “a situação seja revertida e que seja orçamentado o valor necessário a transferir para as associações com vista a ser atribuído o subsídio de risco a todos os Bombeiros Portugueses”.


Comente esta notícia


SINES