O serviço foi adjudicado a uma empresa especializada, responsável, entre outras, por intervenções nas estátuas do Marquês de Pombal e do Rei D. José, em Lisboa.

A Estátua de Vasco da Gama em Sines, que fez 50 anos a 19 de dezembro de 2020, já sente os efeitos do tempo, visto estar exposta às chuvas e aos ventos salinos, que vão marcando a sua superfície com alguns sinais de corrosão que é urgente travar.

Os trabalhos a realizar incluem limpeza com métodos que permitem preservar as pátinas do bronze, aplicação de inibidores de corrosão, selagem de fissuras e tratamento de proteção e de apresentação final das superfícies.

O plinto em pedra calcária será limpo e tratado, recebendo uma proteção final com um produto antigraffiti.

Sobre esta intervenção, o presidente da Câmara, Nuno Mascarenhas, refere:

"Vasco da Gama é a figura maior da história de Sines e a sua estátua é um ex-libris da cidade. Passados 50 anos desde a sua instalação, estes trabalhos são a garantia de que a estátua continuará a ocupar a posição nobre que ocupa no nosso centro histórico, com a aparência e o estado de conservação que merece.”

A Estátua de Vasco da Gama é uma obra fundamental da fase final da estatuária oficial do Estado Novo, onde é já patente a busca de novos caminhos de expressão e de uma maior liberdade criativa.

O autor da estátua, António Luís Branco de Paiva (1926-1987), foi uma das figuras mais destacadas da escultura portuguesa a partir da segunda metade do século XX, tendo mesmo recebido um grande prémio na Exposição Internacional de Bruxelas, em 1958.