"Tivemos mais seis casos na comunidade relacionados com esse surto na Misericórdia, nomeadamente, com os trabalhadores" da instituição, indicou o presidente da Câmara Municipal de Grândola, António Figueira Mendes, em declarações à agência Lusa.

Segundo o autarca, trata-se de "pessoas que têm ligações com familiares dos trabalhadores da cozinha da Misericórdia de Grândola" que, "apesar de estarem positivos, não apresentam sintomas", estando todos a cumprir isolamento profilático.

Com estes casos na comunidade, o total de pessoas infetadas com o novo coronavírus SARS-CoV-2, associadas a este surto, subiu para 17, depois de terem sido identificados 11 casos, seis utentes e cinco funcionários do lar.

A situação "parece calma neste momento" uma vez que "não há registo de mais algum caso de contaminação" na Misericórdia de Grândola, adiantou o autarca, frisando, no entanto, que, "com a quantidade de utentes, pode descontrolar-se se não houver bastante cuidado".

"Hoje estão a ser feitos mais de 100 testes aos utentes de todos os blocos que não tinham sido ainda testados para localizar uma ou outra, eventual, infeção. Estamos a acompanhar de perto a situação", referiu.

António Figueira Mendes adiantou ainda que a Câmara Municipal e a Misericórdia de Grândola estão "a preparar medidas de prevenção" para fazer face a um possível agravamento da evolução epidemiológica no concelho do litoral alentejano.

"Estamos a equipar o nosso hospital de retaguarda com mais camas, roupas e vários dispositivos de ar condicionado nos pavilhões para responder mais rapidamente à situação. Sei também que a Misericórdia [de Grândola] está a adotar medidas para isolar noutro espaço pessoas que tenham necessidade", explicou.

O Centro de Acolhimento, com capacidade para albergar 100 pessoas, está instalado nos Pavilhões do Parque de Feiras e Exposições de Grândola, que foi adaptado para dar uma resposta polivalente à pandemia de covid-19.

Os primeiros cinco casos de infeção na Misericórdia de Grândola foram detetados, no passado dia 17 de outubro, após testes de despiste da covid-19, realizados aos 105 funcionários da instituição, quatro deles trabalhadores da cozinha e um que desempenha outras funções.

Na quarta-feira, a Autoridade de Saúde Pública local efetuou "um rastreio aos 39 residentes do bloco 01", ou seja, a utentes desta estrutura residencial de apoio a pessoas idosas (ERPI), que resultou na deteção de "mais seis casos", confirmou à Lusa, o delegado de saúde de Grândola, Ismael Selemane.

O rastreio foi alargado, esta sexta-feira, "aos restantes utentes dos blocos 02 e 03 da Misericórdia de Grândola, num total de 108 pessoas".

Os seis utentes com resultados positivos para o novo coronavírus SARS-CoV-2 "estão isolados num espaço próprio que foi criado pela Misericórdia, no âmbito do plano de contingência".

"Os trabalhadores estão a cumprir o isolamento em casa e nenhum deles apresenta sintomas" da doença, acrescentou o responsável.


Comente esta notícia


SINES