Esta paragem estima-se ter a duração de três dias, depois da qual se procede às operações de rearranque da referida unidade.

Durante a paragem é previsível que ocorram episódios de chama alta no facho n.º 1 do Complexo Petroquímico da Repsol Polímeros.